Já vi muita coisa nesses quase 12 anos como empreendedor. Já vi negócios excepcionais morrerem precocemente por motivos variados: briga de sócios, falta de capital de giro, desconexão entre propósito e negócio, ansiedade em lucrar, erro na escolha de ponto, erro na escolha de franqueado e diversos outros. Mas, nesses mesmos 12 anos, vi muito negócio da moda bombar e morrer na mesma velocidade. Eu os chamo de “negócios da China”: Saladerias, Espetinhos, Yogofrozen, Hamburgueria Gourmet, Paleteria Mexicana, BarberShop, Sanduicheria Express, Esmalteria, Gelateria, Açaiteria, etc. Na minha opinião, são 5 as causas principais.

1º causa: negócios sem barreira (fáceis de replicar)

                Normalmente os negócios da moda não têm barreiras para novos entrantes. Isso significa que qualquer pessoa com o mínimo de curiosidade consegue replicar o modelo, os processos, os fornecedores, o preço e a maior parte dos segredos de negócio.
                No caso de uma saladeria, por exemplo, em uma visita como cliente você vê que o negócio consiste em uma bancada refrigerada (facilmente comprada em qualquer casa de equipamentos) e montagem de folhas e toppings na frente do cliente. Os insumos são encontrados em qualquer CEASA, o que faz com que qualquer pessoa tenha acesso ao mesmo insumo que o concorrente.
                Mas o que isso tem a ver com a morte do negócio? Tudo, eu respondo. Se o seu modelo de negócio é fácil de replicar, pessoas irão montar o mesmo negócio (com mesmo layout, produto, equipamento, etc.) com melhor preço e do seu lado.

2ª causa: negócios da China

                Todo ser humano quer encontrar um negócio da China. Algo que ele invista pouco, trabalhe pouco e fique rico rápido. Entendo que os negócios da moda chegam ao mercado com um conceito novo, algo que ninguém nunca fez. Isso atrai muitos clientes curiosos e, normalmente, os negócios lotam de clientes no início. Isso desperta em outros seres humanos um sentimento de querer participar daquele sucesso explosivo também. Os caçadores de negócio da China, identificando que ali existe uma fórmula mágica (fácil de ser replicada – causa nº 1), começam a corrida pela riqueza imediata e lotam o mercado de negócios iguais. Esse é o início do fim.

3ª causa: área de influência – saturação

                Você já ouviu falar de área de influência? Todo negócio tem uma! Área de Influência é um conceito forte em Inteligência de Mercado e consolida que todo negócio tem uma atratividade em metros (ou minutos) ao cliente. Em outras palavras, cada negócio tem uma força (maior ou menor) para fazer com que o cliente saia de casa/trabalho para consumir no local. Uma pequena cafeteria tem uma área de influência de 200/300m de raio, ou seja, 90% dos clientes estão próximos e não se disponibilizam a se locomover mais para comprar no local. Agora, se agregarmos valor à cafeteria (Starbucks), a área de influência aumenta consideravelmente (uns 4/5Km). Se pensarmos na Disney de Orlando, a área de influência ultrapassa 10.000/Km.
                Pense agora numa Saladeria. A área de influência, ao meu ver, é similar a de uma pequena cafeteria. Não vejo pessoas cruzando a cidade para frequentar um negócio do tipo. Mas, o que isso tem a ver? Tudo! Na causa nº 2 explicamos que há uma corrida pelo negócio da China. Em pouco tempo, vários negócios similares abrem na mesma área de influência do pioneiro. O território, antes coberto por apenas uma marca, já está povoado com mais 10 competidores e os clientes são divididos entre eles. Clientes divididos, para uma demanda que não é tão alta, contribuem para que todos os negócios morram em pouco tempo (1,5/2 anos).

4º causa: mono-produto

                Todo produto tem um ciclo de vida (lançamento, auge, declínio e morte). Os motivos são variados:

1- Cliente enjoa
2- Cliente não tem mais aquela necessidade
3- Produto fica obsoleto
4- Aparece uma nova tecnologia
5- Aparece uma moda nova

                Se o seu negócio não tem diversificação, ele vai morrer junto com o produto.

5º causa – sazonalidade

                A minha experiência como dono de pequenos negócios diz: Tenha negócios capazes de vender em todas as horas do dia, todos os dias do ano. Uma situação que os caçadores de negócio da China ficam loucos é quando vêm fila em determinado negócio e acham que fila é sinônimo de lucro. Calma! Não é bem assim.

                No caso das Saladerias é comum ver filas no horário do almoço (nos dias de semana). Aí eu pergunto: E o resto do dia?

                No caso dos Yogofrozen é comum ver lojas cheias no verão. Aí eu pergunto: E o resto do ano?

                No caso dos Espetinhos é comum ver lojas cheias no final de semana. Ai eu pergunto: E o resto da semana?

                O que eu quero chamar atenção nesse tópico é que os custos (aluguel, iptu, folha salarial, seguros, luz, etc.) não param por você ter um negócio sazonal. Por isso é importante que seu negócio tenha capacidade de vender nas diversas horas/estações. Na minha humilde opinião, dificilmente um negócio da moda consegue se sustentar vendendo só no almoço, no verão ou no final de semana.

Conclusão

                Então, você está dizendo que negócios da moda não prestam?

                Não! Estou dizendo que alguns tipos de negócio precisam de uma avaliação mais profunda e tempo de maturação. Minha sugestão é dar tempo para o segmento se consolidar e, aí sim, se arriscar. Avalie se o negócio é fácil de replicar e se há sazonalidade para o segmento. Por fim, como sempre digo, não há negócio da China. Empreender demanda estudo, paciência, uma grande dose de coragem e uma dose cavalar de resiliência.

For those about to rock, we salute you!!

Dimi